Menu fechado

FONTE DAS ARTES – COLETIVIDADE, CULTURA E ARTESANATO NUM SÓ LUGAR

Quando as peças dos artesãos de Caxambu estão expostas no espaço Fonte das Artes, que funciona no Centro de Atendimento ao Turista, no centro de Caxambu, a gente não imagina todo o cuidado, carinho, talento e profissionalismo que estão envolvidos no desenvolvimento daquelas verdadeiras obras de arte.

Não importa o tipo de artesanato; todos são frutos de uma vida de trabalho, de uma paixão pelo “fazer com as mãos” produtos diferenciados, que têm vida, energia, alegria.

Uma destas artesãs é a Kátia Bastani. Ela começou há cerca de 20 anos desenvolvendo um talento que completava sua formação profissional

-“Tenho um curso de designer pela Universidade do Estado de Minas Gerais. Eu me interessei muito pela cerâmica e comecei paralelamente a fazer cursos. Não existia até então curso específico de cerâmica. Frequentei muitos ateliês, como o da Lorena Darc, professora da Universidade também; o do Jorge Almeida que é um ceramista do Rio de Janeiro, além de vários cursos livres que participei. Fiz uma formação na Argentina com Jorge Fernandez Chici, que é um ceramista bem respeitado, Enfim, busquei várias formações.” – conta ela.

Por volta de 2016 a artesã se estabeleceu em Caxambu, vindo de Belo Horizonte para o Circuito das Águas. –“Eu conheci a cidade como turista e fui me envolvendo cada vez mais, querendo ter uma vida mais tranquila, mais simples e acho que é uma cidade maravilhosa! Eu quero desenvolver minha arte baseada nessa cidade, nesse olhar, nessas escolhas.” – afirma Kátia.

E nesse período de mudanças, ela decidiu se dedicar a produção de cerâmica de forma artesanal e artística.

-“Foi por amor mesmo a essa atividade. Vim, estabeleci um ateliê que se chama Vida da Terra, mas a principal vocação dele no início, foram os cursos. Promovi diversas oficinas de vivências na área de cerâmica e aprendizagem; mas com a pandemia, os cursos tiveram que parar e então eu voltei o pensamento para a produção, de forma artística, bem artesanal, em pequena escala. ” – conta a artesã.

Com a experiência de quem deu aulas de cerâmica na Escola de Designer da Universidade Estadual de Minas Gerais, e também de paisagismo, ela vislumbrou uma possibilidade única, com o apoio do projeto Fonte das Artes.

– “Eu estou vinculada ao Fonte das Artes desde o início, pois já conhecia o pessoal da Secretaria de Turismo e Cultura. Fiz parte do Conselho Municipal como suplente. E com as minhas experiências pessoais e profissionais e mesmo com as dificuldades que os setores do artesanato e das artes enfrentam, eu acredito que o caminho para o fortalecimento é sempre coletivo. E essa iniciativa também do setor público em dar um espaço, em oferecer um apoio, é essencial.” – salienta Kátia.

O Fonte das Artes é aberto para todos os tipos de artesãos. Ali são expostos centenas de trabalhos dos mais variados materiais, estilos, cores, formas. Em setembro de 2020 o espaço voltado para o Fonte das Artes abriu as portas. Antes, aproveitando o momento da pandemia, o local foi todo reformado e equipado já com o objetivo de abrigar produtos artesanais feitos por artesãs e artesãos  moradores de Caxambu.

A Secretaria de Turismo e Cultura, via Centro de Apoio ao Turista (CAT), tem buscado várias parcerias e possibilidades para que mais artesãs e artesãos possam participar do coletivo Fonte das Artes, possibilitando uma outra fonte de renda já que o objetivo é o de apoiar, fortalecer e divulgar os trabalhos de cada artesão. 

-“O coletivo Fonte das Artes começou com 28 artesãos e hoje são mais de 100 artesãos. Além de um espaço diferenciado, o projeto tem ainda a missão de mapear as artesãs e artesãos de Caxambu, que faz parte do Plano Municipal Cultural” – explica Liana Bahia responsável pelo Centro de Apoio ao Turista onde funciona o Fonte das Artes.

E para participar basta o artesão fazer o cadastro cultural no site da Secretaria de Turismo e Cultura http://turismocaxambu.com.br/v1/ e na sequência levar algumas peças ao espaço Fonte das Artes. As produções serão colocadas em exposição e o artesão ainda vai entender os detalhes das ações do coletivo e conhecer um pouco sobre os outros trabalhos que já fazem parte do espaço.

A Kátia, artesã e personagem desta matéria especial sabe da importância de um projeto como este. –“O fortalecimento parte da união, das pessoas e também das instituições de diversos setores, de todos que puderem apoiar essa área. Porque é de um potencial de desenvolvimento, tanto humano quanto de recursos materiais para as pessoas, para o município.  Especialmente em uma cidade que tem uma vocação turística.” – comenta a artesã.

E além da produção de suas peças, ela e outros membros do coletivo Fontes das Artes participam também organizando o espaço, ajudando no atendimento, num trabalhado comunitário e de apoio mútuo.

-“Eu vou ao Fonte das Artes de 15 em 15 dias. Tive a oportunidade de oferecer a placa do local como doação, e tudo que eu puder fazer de uma forma colaborativa com os outros artesãos, que são todos muito participativos, eu estarei presente. Ali é um início e tem que crescer muito mais, tanto para apoio, quanto no desenvolvimento das pessoas, de ter essa cultura de trabalho coletivo, até que possa virar, quem sabe, uma associação, uma cooperativa e que cada vez mais se fortalece, mas sempre com um olhar na oportunidade para o artesão e para os trabalhos de nossa cidade.” – finaliza Kátia.

Colaboração no texto: Liana Bahia

Skip to content